+ Responder Tópico
  1. #1
    Membro Avatar de ragecom
    Info Conteúdo e Citações Jogos Mensageiros
    dÉbile_ÉMiLe
    Registro
    Sep 2015
    Mensagens
    909
    Blogs
    90
    Verdinhas
    614

    Jogos amaldiçoados, creepypastas, etc.

    Óbvio que não acredito em nada disso, mas existem diversos relatos de vários jogos que teriam sido feitos com o intuito de passar mensagens subliminares ou causar o mal dos jogadores, ou ainda levá-los à loucura e suicídio. Claro... Tudo hoax palhaçada IMHO, mas vamos listar alguns aqui:

    1) Polybius (arcade)


    Provavelmente o mais conhecido desses creepypastas. Trataria-se de um jogo capaz de causar sérios danos mentais, como terrores noturnos, pesadelos, vício no próprio jogo e em casos extremos, suicídio. A lenda diz também que eventualmente agentes do FBI anotavam os nomes dos highscores das máquinas de Polybius.

    Um remake do jogo foi feito para PC "baseado nos relatos dos jogadores originais que teriam sobrevivido após jogar". Eu já vi e é uma parada muito doida, toda caleidoscópica. Dá até dor de cabeça. Essa foto do arcade ai acima é bem famosa: é de um cara que montou o gabinete rodando essa versão para PC e fez a arte no gabinete.

    Os Polybius originais teriam sido destruidos pelo governo dos EUA, bla bla bla e toda aquela teoria da conspiração. Recentemente no Youtube um cara postou um vídeo em que ele teria encontrado um Polybius original em um galpão mas o vídeo é claramente fake.

    A grande verdade é que se Polybius realmente existiu, seria o arcade mais caro do mundo pela raridade e toda essa história por tras dele.

    2) The Theater (PC)


    Essa é mais uma lenda bastante conhecida... Trata-se de um suposto jogo para PC em que você entra no cinema e dá seu ingresso ao bilheteiro. Com o passar do tempo, o bilheteiro vai ficando com a cara meio em forma de espiral e ocasionalmente aparece nos cantos da tela por algumas frações de segundo (foto abaixo):


    Os "relatos" de quem jogou The Theater falam que até hoje, nos cantos de seus olhos, eles enxergam o bilheteiro. Existem alguns sites que falam que o processo de instalação do jogo também era todo aterrorizante e tal. Os CDs de instalação originais não existem em lugar nenhum.

    3) Misfortune (Game Boy)


    Esta é uma lenda que diz que este ROM de Game Boy (não lançado em cartucho) é capaz de levar pessoas à depressão e ao suicídio. Pelo que li, trata-se de um puzzle. O enredo é de um garoto que encontra o diabo (foto acima). Após isso, começam uma série de puzzles, onde quando você morre a imagem abaixo aparece, dizendo "I am God here":


    Ok, essa imagem (aterrorizante ) de game over é a suposta responsável pelos suicídios e tal. Não encontrei vídeos do gameplay então nem o ROM tão falado deve existir de verdade.

    Então... Postem ai os hoaxes gamísticos satânicos que vocês conhecem.
    Última edição por ragecom : 22-10-2015 às 8:40

  2. # Publicidade
    Publicidade

  3. #2
    Membro Avatar de ragecom
    Autor do tópico
    Info Conteúdo e Citações Jogos Mensageiros
    dÉbile_ÉMiLe
    Registro
    Sep 2015
    Mensagens
    909
    Blogs
    90
    Verdinhas
    614

    Rola pela internet uma história bem assustadora de um jogo chamado "Lua Pálida". Leiam:

    Lua Pálida

    Na última década, tornou-se muito fácil conseguir o que se quer, através de só alguns cliques. A internet fez tudo simples demais, e qualquer um pode usar um computador e alterar a realidade. Uma abundância de informação está meramente a um clique de distância, ao ponto em que é impossível imaginar a vida sendo diferente.

    Ainda assim, uma geração atrás, quando as palavras "streaming" (fluxo) ou "torrent" (torrente) não tinha sentido, a não ser que fossem ditas em uma conversa sobre água, as pessoas precisavam se encontrar cara a cara para trocar softwares, programas,jogos de cartas e cartuchos.

    É claro que a maioria desses encontros eram entre grupos de pessoas que trocavam jogos populares entre si como King's Quest ou Maniac Mansion. Entretanto, pouquíssimos programadores conseguiam fazer seus próprios jogos para dividir entre esses círculos, que em troca passariam o jogo adiante se fosse divertido, bem desenhado e independente o suficiente. Esses jogos tinham fama de serem raros artefatos buscados por colecionadores pelo país todo. Era o equivalente a um vídeo viral nos anos 80.


    Lua Pálida entretanto nunca havia saído da área da baia de São Francisco. Todas as cópias conhecidas estavam por lá. Todos os computadores que já tinham usado o jogo eram de lá. Esse fato se dá pelo seu programador ter feito pouquíssimas cópias.

    Lua Pálida era um jogo "texto-aventura" no estilo Zork e The Lurking Horror, foi feito na exata época em que esse estilo estava saindo de moda. Ao iniciar o programa, o jogador era apresentado a uma tela quase vazia, exceto pelo texto:

    -Você está em uma sala escura. Luz do luar brilha pela janela.

    -Há OURO no canto, junto a uma PÁ e uma CORDA.

    -Há uma PORTA para o LESTE.

    -Comando?

    Então começa o jogo que certa vez um escritor de uma fanzine descreveu como "enigmático, sem sentido, e totalmente injogável". Ao que o jogo só apresentava os comandos PEGAR OURO, PEGAR PÁ, PEGAR CORDA, ABRIR PORTA, IR AO LESTE, o jogador recebia as seguintes instruções:

    -Pegue sua recompensa.

    -LUA PÁLIDA SORRI PARA VOCÊ.

    -Você está na floresta. Existem três caminhos. NORTE, OESTE e LESTE.

    -Comando?

    O que rapidamente frustrou os poucos que jogaram o jogo foi o confuso e tiltado comportamento da segunda fase em diante - somente um dos comandos direcionais era o certo. Por exemplo, nessa ocasião, o comando para ir em qualquer direção que não fosse o NORTE faria o sistema congelar, fazendo obrigatório a reinicialização do computador.

    Adiante, qualquer fase subsequente era tão somente uma repetição dos comandos anteriores, excetuando que eram somente as opções de direção que estavam disponíveis. Ainda pior, os comandos clássicos de qualquer jogo de texto-aventura pareciam inúteis. A única ação aceita que não envolvia movimentos era USAR OURO, que ocasionava o jogo a mostrar a seguinte mensagem:

    -Não aqui.

    USAR PÁ, que mostrava:

    -Não agora.

    E também USAR CORDA, que fazia surgir o texto:

    -Você já usou isso.

    A maior parte de todos que jogaram o jogo avançaram algumas fases até se enfastiarem com o fato de precisarem re-iniciar o computador o tempo todo e jogar o disco longe, descrevendo a experiência como uma interface porcamente programada. Entretanto, há uma verdade sobre o mundo dos computadores que é imutável, em qualquer Era: algumas pessoas que usam sempre vão ter muito tempo livre a sua disposição.

    Um jovem rapaz chamado Michael Nevins decidiu descobrir se havia mais Lua Pálida do que podia se ver a olho nu. Após cinco horas e trinta e três fases de tentativas e muitos cabos de computador desconectados, ele finalmente conseguiu fazer o jogo mostrar um texto diferente. O texto na nova área era:

    -LUA PÁLIDA SORRI ABERTAMENTE.

    -Não há caminhos.

    -LUA PÁLIDA SORRI ABERTAMENTE.

    -O chão é macio.

    -LUA PÁLIDA SORRI ABERTAMENTE.

    -Aqui.

    -Comando?

    Passou-se quase outra hora até que Nevins tropeçasse na combinação apropriada de frases que fariam com que o jogo prosseguisse; CAVAR BURACO, DESCARTAR OURO, então TAMPAR BURACO. Isso fazia com que a tela mostrasse:

    -Parabéns

    ----40.24248----

    ---- -121.4434----

    Ao que o jogo cessava de receber comandos e fazia o jogador ter de re-iniciar o computador uma última vez.

    Após alguma deliberação, Nevins chegou a conclusão que os números referiam-se a linhas de latitude e longitude --- as coordenadas levavam a um ponto na floresta crescente que dominava as adjacências próximas a o Parque Vulcânico Lassen. Como ele tinha muito mais tempo do que noção do perigo, decidiu ir ver o fim de Lua Pálida.

    No dia seguinte, armado de um mapa, um compasso e uma pá, ele andou pelas trilhas do parque, percebendo impressionado como cada curva que ele fazia era exatamente igual as curvas do jogo. Após ter inicialmente se arrependido de ter trazido a ferramenta de escavação como que por puro instinto, ele acabou se convencendo de que sua jornada que tinha uma semelhança incrível com a do jogo poderia levá-lo a encontrar um excêntrico tesouro enterrado.

    Sem fôlego após muita caminhada em busca das coordenadas, surpreendeu-se ao literalmente tropeçar em um monte de terra revirada. Cavando tão animado como ele estava, é de se entender o jeito como ele se jogou para trás em surpresa quando seus esforços o levaram a se deparar com uma cabeça em início de decomposição de uma menininha loira.

    Nevin prontamente passou as informações para as autoridades. A garota foi identificada como Karen Paulsen, onze anos, dada como perdida para o Departamento de Polícia de São Diego a mais ou menos um ano e meio.

    Esforços foram feitos para se encontrar o programador de Lua Pálida, mas os rastros da comunidade de troca de jogos e programas se perdiam e sempre acabavam de volta ao ponto de partida.

    Colecionadores chegaram a oferecer mais de 6 mil dólares em uma cópia do jogo.

    O resto do corpo de Karen nunca foi achado.

    ---

    Procurei no Google o nome da menina e não achei nada correlato a isso. Também pesquisei sobre Pale Moon e encontrei bem menos sites sobre o assunto (o que me leva a pensar que a história foi feita por um brasileiro). Existe esta mesma história em inglês sob o nome de Pale Luna. Coloquei as coordenadas indicadas no texto no Google Earth e elas dão na floresta descrita mesmo (Lassen National Forest, CA, EUA). O nome da menina mais o nome do jogador só caem na mesma história no Google.

    Enfim, é um conto de terror legalzinho mas não deve ter nenhum fundo de verdade.
    Última edição por ragecom : 22-10-2015 às 8:41

  4. #3
    Membro Avatar de tropman
    Info Conteúdo e Citações Jogos Mensageiros
    Registro
    Mar 2012
    Mensagens
    1.184
    Verdinhas
    1072

    Ca*****!
    Que bagulho sinistro, bixo! Terminei de ler a história do Lua Pálida, aí quando fui rever algumas passagens, a tela do meu note ficou PRETA, começou a piscar, depois voltou ao normal. Nunca tinha acontecido isso com meu note. Tá uma chuvarada com trovoada aqui, não sei se foi por isso. Mas deu uma leve eriçada nos pelos da nuca.

    Enfim, achei bacana essa história do Lua pálida, mas fiquei com uma dúvida: pq aquela maldita corda, se não foi usada pra nada?

    ____________________________

    Quando eu tive meu primeiro PC, veio junto o jogo Doom (1 ou 2, não lembro. Era o que pegava a motosserra à esquerda logo no começo).
    Nessa mesma época sei que haviam vários boatos sobre o jogo ser demoníaco e tal, até umas reportagens na TV falando sobre o jogo, casos de pessoas que teriam virado maníacos assassinos por causa do game. Infelizmente não lembro muito pq era meio criança ainda, mas lembro que passou uma reportagem no Fantástico sobre um cara que tinha matado umas pessoas e se matado, e acharam no PC dele o Doom modificado, com umas salas que ele mesmo construiu, cheio de corpos pendurados e tal, lembro que vi aquilo e fiquei abismado, perguntando "como esse cara fez isso???"

  5. #4
    Membro Avatar de DEKAO
    Info Conteúdo e Citações Jogos Mensageiros
    Registro
    Feb 2006
    Mensagens
    4.261
    Verdinhas
    676

    Citação Citando ragecom Ver mensagem
    2) The Theater (PC)


    Essa é mais uma lenda bastante conhecida... Trata-se de um suposto jogo para PC em que você entra no cinema e dá seu ingresso ao bilheteiro. Com o passar do tempo, o bilheteiro vai ficando com a cara meio em forma de espiral e ocasionalmente aparece nos cantos da tela por algumas frações de segundo (foto abaixo):


    Os "relatos" de quem jogou The Theater falam que até hoje, nos cantos de seus olhos, eles enxergam o bilheteiro. Existem alguns sites que falam que o processo de instalação do jogo também era todo aterrorizante e tal. Os CDs de instalação originais não existem em lugar nenhum.
    to com o link pra baixar esse. Nao sei s epode postar aqui, quem quiser manda uma MP
    BAixei mas ainda nao joguei. Diz que tem um final secreto.

  6. #5
    Membro Avatar de drdreh
    Info Conteúdo e Citações Jogos Mensageiros
    Registro
    Jun 2011
    Mensagens
    2.978
    Verdinhas
    1808

    tá doido!
    tem a historia do Zelda Majoras Mask, do garotinho Ben que aparece no cartucho, loucura!
    Última edição por drdreh : 26-10-2015 às 16:39

  7. #6
    Membro Avatar de DEKAO
    Info Conteúdo e Citações Jogos Mensageiros
    Registro
    Feb 2006
    Mensagens
    4.261
    Verdinhas
    676

    Citação Citando drdreh Ver mensagem
    tá doido!
    tem a historia do Zelda Majoras Mask, do garotinho Ben que aparece no cartucho, loucura!
    porra essa é doida hein?? eu nao conhecia nao.
    http://creepypasta.wikia.com/wiki/BEN_Drowned


    PS: joguei o The Theater (PC) meio doidera. Nem é jogo é só um corredorzao com umas paradas bizarras. Nao consegui achar o final com a cara deformada.
    Última edição por DEKAO : 26-10-2015 às 18:32

  8. #7
    Membro Avatar de #PILANTRA#
    Info Conteúdo e Citações Jogos Mensageiros
    Registro
    Jun 2002
    Mensagens
    5.488
    Verdinhas
    579

    lembro na época que eu jogava mario 2 no nintendinho, pessoal falava que naquelas fases de sombra que era o mundo paralelo ao contrario, tinha uma porta da sombra que você entrava e acontecia algo que não lembro kkk.

    eu nunca achei essa tal porta no mundo paralelo espelhado.

    No final do jogo o Mario acorda significa que todo o jogo foi um sonho, maior Inception.
    Última edição por #PILANTRA# : 26-10-2015 às 19:36

  9. #8
    Membro Avatar de ragecom
    Autor do tópico
    Info Conteúdo e Citações Jogos Mensageiros
    dÉbile_ÉMiLe
    Registro
    Sep 2015
    Mensagens
    909
    Blogs
    90
    Verdinhas
    614

    Ben Drowned é clássica.

    Mas se vocês não conheciam essa, que é bem famosa, talvez também não conheçam a Lavender Town Syndrome:

    A Síndrome de Lavender Town (também conhecido como "Os Suicídios De Lavender Town") foi um pico de suicídios e doenças das crianças entre as idades de 7-12 logo após o lançamento de Pokémon Red e Green no Japão, em volta de 27 de Fevereiro de 1996.

    Rumores dizem que estes suicídios e doenças só ocorreram depois que as crianças que jogaram o jogo chegaram a Lavender Town, cujo tema musical tiveram frequências extremamente altas, que os estudos mostraram que apenas as crianças e adolescentes jovens podem ouvir, uma vez que seus ouvidos não estão totalmente desenvolvidos.

    Devido o som de Lavender Town, pelo menos duas centenas de crianças supostamente cometeram suicídio, e muitos mais desenvolveram doenças e aflições. As crianças que cometeram suicídio geralmente o fizeram por enforcamento ou saltando de alturas. Aqueles que não agiram irracionalmente queixaram-se de fortes dores de cabeça depois de ouvir o tema de Lavender Town.

    Apesar de Lavender Town agora soar diferente dependendo do jogo, essa histeria em massa foi causada pelo jogo Pokémon lançado. Após o incidente de Lavender Town os programadores fixaram a música de Lavender Town com uma frequência menor, para as crianças não serem mais afetadas por ela.

    Um vídeo apareceu em 2010 com um "software especial" para analisar o áudio da música da cidade de Lavender. Quando usado, o software criou imagens do Unown perto do final do áudio. Isso levantou uma polêmica, já que o Unown não aparecer até o geração 2 jogos:.. Silver, Gold e Crystal. Os Unown diziam para "deixar AGORA". Há também quem diz que existe uma Versão Beta de Lavender Town.

    Diz-se que a versão beta do Pocket Monsters foi lançado para algumas crianças testarem os jogos. Este é o vídeo da versão beta de Lavender Town:
    http://pt-br.creepypastabrasil.wikia..._Red_and_Green

    Relato Complementar

    Eu conheci meu melhor amigo no ginásio. Nós dois levamos nossos Gameboys para a escola um dia e sentamos juntos no almoço quando percebemos que tínhamos algo em comum. Eu tinha a versão Blue e um Venosaur, ele tinha a versão Red e um Charizard. Nós batalhávamos sempre que podíamos e nos tornamos grandes amigos. E os anos se passaram, continuamos a jogar Pokémon, até mesmo durante o colegial. Passamos por todas as gerações e versões de Pokémon, as batalhas nunca ficavam sem-graça.

    Quando chegamos à faculdade, nossos caminhos se separaram. Não conversamos muito mais depois disso; tínhamos vidas ocupadas na universidade. Eu pensava que não iríamos mais retomar a amizade que já tivemos um dia. Então, Pokémon Diamond e Pearl foram lançados em 2007 e nós aproveitamos o interesse pela séria para nos reunir e se divertir. Batalhávamos e conversávamos através do wi-fi todo dia por algumas semanas após o lançamento.

    Meu amigo me contou que ele planejava jogar novamente a versão Red que tinha. Havia se passado três meses após o lançamento de Diamond e Pearl, e não jogávamos mais como antes. Eu perguntei a ele por que ele queria jogar aquele cartucho velho e empoeirado, e ele respondeu, “Eu não sei, talvez eu encontre algo que ninguém jamais encontrou antes.”

    Apesar da minha relutância em jogar minha versão Blue com ele, ele jogou a versão Red mesmo assim. Depois que ele começou essa jornada, eu nunca mais falei com ele. Mais ou menos três meses depois, eu recebi uma ligação dos pais de meu amigo.

    Mesmo que ele nunca tivesse problemas similares antes, ele morrera do que diziam ser uma convulsão. Ele estava sozinho no dormitório até que um colega de quarto, que infelizmente chegou tarde demais, o encontrou no chão, sem vida, e estranhamente usando seus fones de ouvido favoritos. Eu corri assim que pude para ir ao seu funeral. O colega dele, que também foi ao velório, me informou que apenas alguns dias antes do incidente, meu amigo havia se tornado obcecado pela Cidade de Lavender e sua música. Meu amigo queria ser engenheiro de som depois de se formar e tinha um ótimo talento com os sons. Ele podia ouvir sons baixos vividamente enquanto eu falhava em reconhecê-los.

    Assim que ele redescobrira a Cidade de Lavender, ele passou o áudio para o seu computador e começou a fazer experimentos com ele. Curiosamente, ele se vangloriava de ter encontrado uma cópia rara da música retirada da primeira leva da versão Green, lançada apenas no Japão. Não especificamente falando da versão japonesa, ele disse ao seu colega de quarto que “As frequências dessa música são diferentes; elas se unem de modo especial. Mas tem algo faltando. Eu acho que alguma coisa deveria ser mixada junto, mas acabou não funcionando no Gameboy. Ele era muito limitado em termos de tempo de faixa.”. Eu tive a chance de mexer em seu laptop pela última vez, então eu visitei sua lista de “Itens Recentes”. No topo dela eu li “lavender.wav”. Juntamente com várias fotos nossas juntos, eu copiei este arquivo. Pego na minha tristeza pela morte de meu melhor amigo, eu ignorei o arquivo de áudio até algumas semanas antes de escrever isso. De algum modo decidi recentemente que eu precisava entender o que acontecera.

    Levado pelo desejo de saber o que causara sua morte repentina, eu abri as propriedades do som, sem ouvi-lo. Com a seção de descrição do áudio, ele escreveu, “Tons bi-auriculares, eu coloquei as frequências necessárias, eu sei porque a Cidade de Lavender soa tão triste, e eu sei a parte que faltava”. Mesmo sem entender, eu olhei o arquivo no programa de áudio que ele mais usava (ainda sem ouvir o arquivo), e encontrei a contagem de vezes que o arquivo foi ouvido. Uma. Eu conversei online com um entusiasta de som na esperança de decifrar estes comentários. Ele me deu um software especial que poderia analisar o áudio em tempo real e disse que era tudo que ele podia fazer.

    Esse vídeo a seguir é uma gravação minha tocando o arquivo no programa mencionado. Até hoje ainda não ouvi o áudio, já que estou muito emocionalmente perturbado pela morte de Anthony, meu melhor amigo.

    NOTA: O vídeo à seguir pode causar mal-estar em determinado ponto.

    Assista por conta e risco!

    http://pt-br.creepypastabrasil.wikia...s%22_Mystery-0

    Tudo retirado do Creepypasta Brasil.

  10. #9
    Membro Avatar de Sublime
    Info Conteúdo e Citações Jogos Mensageiros
    Registro
    Dec 2003
    Mensagens
    8.071
    Verdinhas
    381

    Gosto muito desses creepypastas, já tinha lido sobre todos menos esse Lua Pálida. Gostei muito, óbvio que é 100% baboseira mas sempre são histórias interessantes e muito bem contadas.

    Tem alguns creepypastas não relacionado a jogos, como por exemplo do suicídio do Lula Molusco, a teoria do Rugrats, a verdade sobre o Ash, etc... Por favor, se alguém tiver mais contribua com o tópico.
    Última edição por Sublime : 27-10-2015 às 9:08

+ Responder Tópico Ir para o Fórum

Assuntos do tópico

Compartilhar

Permissões