• O autor

      Rodrigo Guerini é historiador, professor, autor do blog SanroJoga e redator de jogos para a hardMOB.

      Grand Austria Hotel (PaperGames)

      Início do século XX, Europa. Enquanto muitos poderiam selecionar deste período um tema como a corrida imperialista, a ascensão do totalitarismo ou mesmo uma das duas grandes guerras, Virginio Gigli (Lorenzo Il Magnifico) e Simone Luciani (Lorenzo, Tzolk’in e As Viagens de Marco Polo) resolveram focar na Viena e sua vida cultural estonteante.


      Em Grand Austria Hotel cada um dos jogadores é dono de um pequeno restaurante/café, tentando transformá-lo em um hotel famoso.

      É através dos dados que os jogadores fazem as mais importantes ações do jogo, num sistema de draft já conhecido em outros jogos, mas perfeitamente ajustada para a mecânica em questão.

      Cada turno o jogador escolhe entre servir comida ou bebida aos seus clientes (previamente selecionados entre a nata da sociedade austríaca, ou até turistas), arrumar quartos, contratar empregados e buscar influenciar o imperador.


      Neste aparentemente limitado grupo de ações, é preciso pensar em como maximizar cada uma delas com os bônus conseguidos com cada cliente e empregado, sem esquecer que a cada par de rodadas o imperador pode agraciar aqueles que lhe renderam favores ou dinamitar uma boa estratégia de mercado pelo seu simples capricho.

      Pontos positivos

      Dados até para quem não gosta – Uma das melhores formas para trazer novos jogadores para a mesa é mostrar algum elemento que ele já conheça. Poucos elementos são tão naturais quanto dados. Mas a sorte ligada aos dados que costuma estragar a partida para veteranos é, aqui, completamente diluída pelo bem implementado sistema de draft.

      O mundo é daqueles que se adaptam melhor – A variabilidade conseguida com os baralhos de empregados, o de clientes e a rolagem dos dados fazem com que em Grand Austria Hotel, mais do que uma estratégia pré-determinada para todas as partidas, o jogador tenha que se adaptar conforme o desenrolar do jogo. Ótimo para quem não gosta de estratégias “receita de bolo”.


      Tudo um brilho – Em um ano em que algumas editoras estão perdendo a mão da qualidade de suas peças é preciso, mais uma vez, parabenizar os componentes disponibilizados pela PaperGames. O jogo talvez esteja um pouco para o lado do “caro” comparado aos antigos lançamentos da editora, mas não há um “a” para se dizer contra a qualidade de tudo o que vem na caixa.

      Pontos a considerar

      Não tão leve assim – Num primeiro olhar, Grand Austria Hotel parece um jogo leve, principalmente para aqueles que já jogaram sua cota de complexos. Mas ele bebe de muitos elementos de outros jogos. Para um novato pode ser complexo entender a interação de tudo o que está acontecendo na mesa.


      Áustria no início do século XX – Enquanto a ideia de gerenciar um hotel pode chamar a atenção de um certo público, ela pode, igualmente, afastar outro grupo de pessoas. É possível que o tema acabe afastando um grupo de jogadores que poderiam até se interessar pelas mecânicas ou trazer para mesa outros que estavam esperando por um jogo diferente.

      Pontos negativos

      Joga aí, enquanto vou no banheiro – A nenhuma interação entre os jogadores e o tempo que um jogador pode precisar para fazer suas decisões pode criar uma experiência não muito reconfortante para jogos com mais integrantes. Há não ser que tenhas um grupo rápido ou não se importe em esperar por sua vez, evite partida com 4 jogadores a todo custo. O ideal são dois, em três já há um considerável tempo de espera.


      Lorenzo, Il Magnifico – Há diversos elementos aqui que aparecem de maneira mais polida em Lorenzo. Dados, cartas e, principalmente, a trilha da Imperador (ou Igreja em Lorenzo) são semelhantes o suficiente para fazer alguns questionarem a razão de ter ambos, em vez de optar por aquele que parece ser uma evolução natural.

      Consideração final: Grand Austria Hotel é um jogo voltado para iniciados no hobby, mas que acolhe sem grande dificuldade um novato. Com um ótimo sistema de draft de dados e componentes de altíssima qualidade, agrada no visual e na estratégia. Seu tempo entre turnos, entretanto, pode deixá-lo na prateleira para grupos com 4 jogadores, que podem preferir jogar Lorenzo.
      Para comentar por favor registre-se.