• 44 Imagens Incríveis de Microscópios Eletrônicos de Varredura

      O tubo de Raios Catódicos, que permitiu o desenvolvimento da Televisão, também permitiu o desenvolvimento do microscópio eletrônico.

      O primeiro microscópio eletrônico de transmissão foi desenvolvido pelo físico Ernst Ruska e pelo engenheiro eletrônico Max Knoll 1933.

      Na década de 60 o engenheiro eletrônico britânico Charles Oatley desenvolveu o primeiro microscópio eletrônico de varredura, que permite imagens em 3D.

      Inventado no século XIX, o tubo de raios catódicos (usado em TVs, monitores, microscópios eletrônicos, etc), foi alvo de pesquisas de muitos cientistas da época.

      Em 1838 o físico britânico Michael Faraday fez passar uma corrente elétrica em um tubo com ar rarefeito e observou um arco de luz. Em 1857 o físico alemão Heinrich Geissler reduziu a pressão para 0.001 atm, aplicou uma tensão de 100 KV entre o catodo e o anodo e observou uma luz em todo o tubo. A luz era criada pela colisão dos elétrons nos átomos de oxigênio e nitrogênio. O físico britânico William Crookes reduziu a pressão para 0.000001 atm e a luz começou a diminuir até que ela aparecia no fim do tubo, no anodo. Com poucos átomos de oxigênio e nitrogênio, os elétrons conseguiam chegar até o anodo. Em 1869 o físico alemão Johann Hittorf percebeu que partículas eram emitidas em linha reta do catodo em direção ao anodo. Em 1876 o físico alemão Eugen Goldstein nomeou de raios catódicos.

      Havia um debate muito grande acerca da natureza dos raios catódicos. Alguns cientistas achavam que eram átomos, outros que eram radiação eletromagnética. Com experimentos, mostrava-se que os raios catódicos formavam sombras no anodo se bloqueados com algum objeto e atravessavam finas placas metálicas, como o ouro (experimento de Ernest Rutherford).

      Em 1897 o físico britânico J. J. Thomson fez uma das maiores descobertas cientificas do século XIX: concluiu que os raios catódicos eram partículas diferentes de átomos, que depois passariam a seriam chamadas de elétrons. Thomson aplicou um campo magnético que desviou os raios catódicos, provando que tinham carga negativa e não eram ondas eletromagnéticas.

      Os tubos de Crookes usavam a ionização do gás (catodo frio) para produzir os raios catódicos. Um método mais eficiente, o catodo quente (emissão termiônica) pesquisado pelos físicos alemães Johann Wilhelm Hittorf e Eugen Goldstein e por Thomas Edison. Em 1897 o físico alemão Ferdinand Braun construiu o primeiro tubo de raios catódicos usando fósforo na tela com catodo frio. Em 1922 os físicos americanos John B. Johnson e Harry Weiner Weinhart construiram o primeiro tubo de raios catódicos com catodo quente, usado até hoje em TVs, monitores e microscópios eletrônicos.

      Em 1909 o físico americano Robert Millikan mediu a carga elétrica do elétron com precisão. Em 1914, o físico neozelandês Ernest Rutherford, os físicos alemães James Franck e Gustav Hertz e o físico britânico Henry Moseley determinaram que o átomo eram composto de um núcleo de partículas com cargas positivas (próton) cercado por elétrons. Em 1916, o químico americano Gilbert Newton Lewis explicou a ligação covalente como sendo o compartilhamento de elétrons por átomos. Em 1919, o químico americano Irving Langmuir demonstrou que os elétrons orbitavam o núcleo em camadas quase esféricas e concêntricas, igualmente espaçadas. Em 1932 o físico britânico James Chadwick descobriu o nêutron.

      O físico alemão Ernst Abbe demonstrou que a resolução de um microscópio ótico é limitada pelo comprimento de onda da luz. Físicos da empresa Carl Zeiss desenvolveram um microscópio ótico que usava luz ultra-violeta (com lentes de cristal de quartzo) e tinha o dobro da resolução de um microscópio de luz visível. Em 1927 o físico francês Louis de Broglie teorizou a natureza ondulatória das partículas. Um microscópio que usasse feixe de elétrons (emitido por um tubo de raios catódicos) em vez de luz teria uma resolução muito maior, pois um feixe de elétrons tem um comprimento de onda muito menor que a luz.

      Em 1927 os físicos americanos Clinton Davisson e Lester Germer do Bell Labs provaram a natureza ondulatória das partículas (como os elétrons) ao observarem os espalhamento de elétrons em sólidos cristalinos. O feixe de elétrons sofria difração, de forma semelhante ao espalhamento de Raios-X em cristais, conhecido como difração de Raios-X, que foi estudado pelo físico britânico William Henry Bragg.

      Em 1933, o físico alemão Ernst Ruska e o engenheiro eletrônico alemão Max Knoll desenvolveram o primeiro microscópio eletrônico de transmissão [Transmission Electron Microscope (TEM)], usado para observar amostras em cortes ultra-finos e que tinha ampliação de algumas centenas de vezes. Pouco tempo depois foi desenvolvido o primeiro microscópio eletrônico de transmissão com maior resolução que um microscópio ótico.

      Na década de 60 o engenheiro eletrônico britânico Charles Oatley desenvolveu o primeiro microscópio eletrônico de varredura [Scanning Electron Microscope (SEM)], usado para observar superfícies de amostras e que permite imagens em 3D.

      Na década de 70 o físico britânico Albert Crewe da universidade de Chicago desenvolveu o microscópio eletrônico de transmissão de varredura [Scanning Transmission Electron Microscope (STEM)], aumentando ainda mais a resolução dos microscópios eletrônicos.

      Em 1981, físicos da IBM de Zurich, Suíça, desenvolveram o microscópio eletrônico de tunelamento, que com ampliações de até 50 milhões de vezes permite ver e manipular átomos.

      Os microscópios eletrônicos evoluíram muito ao longo de décadas, incorporando os avanços da física, da eletrônica e da computação.
      Este artigo foi publicado originalmente no tópico do fórum: 44 Imagens Incríveis de Microscópios Eletrônicos de Varredura iniciado por San Andreas Mensagem original
      Comentários 44 Comentários
      1. Avatar de kingMOB
      BEST_ANSWER_PLACEHOLDER
      1. Avatar de Garth Algar
        Posta mais ibagens dos circuitos de processadores..

        E mais specs dos microscópios..
      1. Avatar de snooper
        Tenho um wallpaper identico ao close no olho da mosca...
        Parabéns pelo tópico.
      1. Avatar de /Mrpd_
        Explain this bullshit!!!





        ...Please...
      1. Avatar de Daniel Moreira
        Gostei do Arquievemob unlocked....

        eu destravei o meu por data de registro .... rs
      1. Avatar de InsanU
        Achei legal, mas alguem poderia me explicar pq essas imagens sao tao coloridas>? Tipo essa nao é a forma real dessas imagens nao é? Eles dao uma colorida no photoshop pra ficar assim?
      1. Avatar de San Andreas
        Citação Citando SHANK Ver mensagem
        Achei legal, mas alguem poderia me explicar pq essas imagens sao tao coloridas>? Tipo essa nao é a forma real dessas imagens nao é? Eles dao uma colorida no photoshop pra ficar assim?
        Citação Citando San Andreas Ver mensagem
        Por não usar luz visível, imagens coloridas de um microscópio eletrônico são na verdade coloridas artificialmente

        Imagem sem cores de um microscópio eletrônico de varredura

      1. Avatar de jgonc
        excelente tópico
      1. Avatar de newegg
        San Andreas, como eles definem as cores a aplicar? Durante a varredura eles analisam o espectro refletido pelo objeto em questão e comparam com valores pré-determinados em um banco de dados, ou simplesmente distribuem cores aleatórias para evitar confusão de partes próximas?
      1. Avatar de Spidey
        Eu chuto que não há coloração automática não, pra mim é na mão.
      1. Avatar de Gitakado
        Queria ver uma foto de uma proteina ou de aminoácidos,ai sim é estreme fodastic.
      1. Avatar de syndragon
        tem mais de circuitos eletronicos ae?
      1. Avatar de Spidey
        Pô, mas mesmo a foto mais próxima dessas ainda é de alguma coisa sólida, tá MUITO longe de ver as moléculas/átomos.
      1. Avatar de TheNecron
        Citação Citando Tdswnsch Ver mensagem
        É bom espalhar essa do prego por ai, tem gente que pisa em prego enferrujado e achar que não dá nada, que é só ferro, que não tem perigo... Não que eu me importe com gente burra, mas uma vacina é mais barata que um funeral.
        Já pisei em prego enferrujado, não fiz nada - apenas limpei o ferimento - e ainda estou vivo. Já fazem 3 anos.


        Obs.: Se bem que hoje eu irei correr para a farmácia ou posto de saúde e tomar as medidas necessárias (remédio, vacina).
      1. Avatar de San Andreas
        O objetivo das cores artificiais é realçar o contraste e melhorar a percepção de profundidade





        Vírus da gripe aviaria visto no M. E. de Varredura

      1. Avatar de la_de_longe
        Citação Citando San Andreas Ver mensagem
        Vírus da gripe aviaria visto no M. E. de Varredura
        Agora sim!!!!!
      1. Avatar de Garth Algar
        Pessoal, o microscópio óptico consegue mostrar a imagem ampliada pq a luz ''bate'' no objeto (na amostra) e volta.. Princípio simples da física..

        Mas e o microscópio eletrônico, que não usa luz (só elétrons), como consegue gerar essas imagens?
      1. Avatar de Gabriel Meireles
        Marimbondo Peniano, wat???!!

        Mas mto chique as imagens... o mais bacana é a formiga toda geek carregando o chip.
      1. Avatar de Spidey
        Citação Citando Elias Maluco Ver mensagem
        Pessoal, o microscópio óptico consegue mostrar a imagem ampliada pq a luz ''bate'' no objeto (na amostra) e volta.. Princípio simples da física.. Mas e o microscópio eletrônico, que não usa luz (só elétrons), como consegue gerar essas imagens?
        Deve funcionar tipo ressonância magnética.
      1. Avatar de XtReMe .
        nao acredito q essas porcarias já andaram pelo meu corpo algum dia
      Para comentar por favor registre-se.