• O autor

      Rodrigo Guerini é historiador, professor, autor do blog SanroJoga e redator de jogos para a hardMOB.

      Virtual Boy - O videogame 3D da Nintendo que não deu certo.


      Retirado de www.sanrojoga.com

      Virtual Boy

      A Nintendo, líder do mercado - tanto em consoles, quanto em portáteis, resolve revolucionar a jogatina e introduzir uma nova dimensão ao jogador. Chega da imagem chapada da televisão, agora a idéia é inserir o jogador no mundo 3D.


      Ahn? 2011 e o lançamento do Nintendo 3DS? Lógico que não! Estamos falando de 1995 e o lançamento do VIRTUAL BOY!

      O que é o Virtual Boy?

      Não é um acessório, mas também não é um portátil, nem um console de mesa. O Virtual Boy é tão... esquizofrênico (?) que ele provavelmente precisaria de uma nova categoria para enquadrá-lo, afinal, podemos chamá-lo de portátil, sendo que é necessário uma mesa para jogá-lo?


      Se você olhar por 5 minutos esta imagem também terá dor de cabeça...

      O Virtual Boy foi a "encheção" de linguiça oficial entre o Super Nintendo e o lançamento do Nintendo 64. Devido a hegemonia que o seu console de 16bits estava tendo a partir de 1992 a Nintendo não estava lá muito interessada em mudar de geração. Novos consoles estavam sendo apresentados e vendidos, tanto pela Sony - Playstation, quanto pela Sega - Saturn, e o projeto do Nintendo 64 estava longe de completo.

      É lançado então o Virtual Boy, uma geringonça composta de um óculos imenso, pézinho para este óculos e um controle. Tão portátil quanto a sua televisão de 50 polegadas.

      Os óculos eram necessários para dar o efeito 3D que o acessório pregava. Acontece assim, para que nós consigamos ter a impressão do 3D, precisamos que cada um dos olhos receba informações diferentes. O que o Virtual Boy fazia era ter cada uma de suas duas telas, exibindo imagens similares, mas não iguais, e assim dando a sensação do 3D.


      Imagina jogar isso com um Wiimote

      Ao contrário do que ficou popular, a Nintendo não tinha exatamente como fazer o Virtual Boy colorido, na época do projeto apenas as cores vermelha e azul poderiam ser colocadas. O azul tinha um brilho muito fraco e não dava a sensação do 3D, ao contrário do vermelho, por isto, o Virtual Boy acabou ficando conhecido como um console com jogos em duas cores - preto e vermelho.

      Segundo a própria Nintendo, o Virtual Boy não tinha como objetivo substituir o Game Boy, afinal não poderia ser jogado em qualquer lugar, nem o Super Nintendo, portanto criaria uma nova categoria. Este mesmo papo, diga-se, foi feito no lançamento do Wii, que ele não chegava para concorrer com o Playstation 3 ou o Xbox 360 e sim, criar uma nova categoria.

      E por que o Virtual Boy não deu certo?

      Por onde começar? É quase como entrar numa fábrica de chocolates e ser obrigado a escolher um item.

      Os jogos são ruins, certo? Com tantos videogames que nasceram e morreram na metade da década de 90 é até irônico dizer que o Virtual Boy, na sua diminuta lista de jogos (22 ao todo), tinha alguns bastante bons. Wario Land, por exemplo, é um exemplar jogo de plataforma que faria bonito em absolutamente qualquer videogame.


      Entendeu alguma coisa? É, nem eu...

      E aí está o primeiro grande problema do Virtual Boy, seus melhores jogos poderiam ser facilmente realizados em outros videogames, o tal do efeito de realidade virtual era nulo em quase todos os jogos, e embora o 3D fosse até relativamente competente, em quase nenhum dos jogos ele era realmente necessário.

      Pela própria limitação da tecnologia, o Virtual Boy apresentava apenas aquele vermelho característico, portanto, por melhores que fossem os gráficos - e não eram tão bons assim, afinal, lembre-se, o videogame precisava processar 2x a informação, uma para cada olho -, você ficaria preso aquele mundo sem cor.


      Waterworld para Virtual Boy. E você achava que o FILME era ruim...

      Sua portabilidade era absolutamente ridícula, já que era necessário uma superfície bastante estável - existem espelhos se mexendo lá dentro durante a jogatina, que poderiam se deslocar, caso você jogasse dentro de um carro, por exemplo - e comia 6 pilhas a cada 6 a 7 horas. Reclame do seu iphone agora.

      Somado a tudo isso, são frequentes os relatos de pessoas que tiveram dores de cabeça e nos olhos após poucos minutos de exposição ao produto - diga-se, relatos parecidos, embora em menor quantidade, também foram feitos após a apresentação do 3DS.

      Em suma, o Virtual Boy era a forma mais eficaz de você criar uma dor de cabeça, para jogos que podiam muito bem ser apresentados em outros sistemas, como o Super NES ou até o Game Boy.


      Da série: "Imagens que valem mais do que 1000 palavras"


      Como consequência deste fracasso o Virtual Boy foi logo esquecido pela Nintendo, que focou todos os seus recursos para o projeto do Nintendo 64, o tal conceito de "Realidade Virtual" - que outras empresas já haviam namorado, inclusive a Sega - foi deixado para trás e assim como o comunismo esquecido nos anos 90, pelo menos como produto de massas.

      Já o inventor da geringonça, Gunpei Yokoi, que também tinha desenvolvido o Game Boy, o Game & Watch e a série Metroid, acabou sendo demitido da Nintendo. Por fim, o 3D em games só voltou a ser notícia em 2009 com a Sony anunciando uma atualização para televisões 3D de seu Playstation 3, e claro, a Nintendo com o lançamento do Nintendo 3DS em fevereiro deste ano.





      SÉRIE COMPLETA: Acessórios que você NÃO deveria testar:


      Parte 0 - Power Glove
      Parte 1 - Intellivoice (Intellivision)
      Parte 2 - R.O.B. (NES)
      Parte 3 - Sega Activator (Mega Drive)
      Parte 4 - Overlays (Odyssey)
      Parte 5 - Minklink (Atari)
      Parte 6 - Roll & Rocker (NES)
      Parte 7 - Sega MegaDrive Modem
      Parte 8 - Nintendo 64DD
      Parte 9 - Dreamcast Fishing Rod
      Este artigo foi publicado originalmente no blog: Virtual Boy - O videogame 3d da Nintendo que não deu certo. iniciado por Mago_1982
      Comentários 6 Comentários
      1. Avatar de GugaJedi
        Bom, em 1995 não havia assim tanta tecnologia como hoje temos com a geração LED e TV's 3D... Foi realmente um tiro no pé o que a Nintendo fez, lançando essa geringonça sem sentido com jogos em VERMELHO. O que ela devia ter feito era aumentar os esforços na finalização do N64 e poderiam quem sabe até mesmo ter lançado um video-game que abrisse mão dos cartuchos. Eu sou um feliz dono de um N64 até hoje, mas porque sou fã, antes dele tive um Super Nintendo e até hoje tenho guardado mesmo que não funcionando meu Primeiro Game Boy. Mas que a Nintendo demorou para entender o futuro, isso sim... ela demorou... Seu primeiro console com CDs saiu super atrasado e não rendeu quase nada... Poucos compraram e o sucesso do Play 2 apagou a mínima campanha publicitária feita pela Nintendo sobre o Game Cube.
      BEST_ANSWER_PLACEHOLDER
      1. Avatar de Wolfenstein
        Quanto será q esta valendo meu VB? Acho q tirei ele da caixa 1x soh. Quero vender ele pro Smithsonian como peça pre historica
      1. Avatar de Rodrigo Guerini
        Depende muito do estado da caixa e dele (mesmo sendo usado uma única vez, pode estar em péssimo estado)...

        Vejo VB de 300 a 600 reais, sendo vendidos por ai.
      1. Avatar de Ogum
        A galera ai tem itens de colecionador. Tb tenho o meu Game Doctor SF6.
        Flw galera !
      1. Avatar de rodrigorodriguez
        sem ismo mas será que agora nessa geração nao pegaria?

        pq se jogam aqueles mini games do wii e acham uma maravilha ou ate mesmo os jogos bobos que tem pro kinect, um desse em 3d com gráficos bons também pegaria..

        os games estão deixando de ser game para ser uma masturbação eletrônica...

        Click here to enlargeClick here to enlarge
      1. Avatar de Bakuzen
        Ééé... Eu tenho um e nao acho ruim jogar ele depois que descobri que da para jogar deitado na cama com ele em cima da minha cara sem nenhum acessório extra. Antes usando o tripé em cima de uma mesinha eu sempre ficava com as pernas dormentes e dor no pescoço, agora da para jogar por horas deitado e nao da dor de cabeça, mas quando paro para um intervalo parece que fiquei com efeito de algum entorpecente coisa assim, meio "doidão" com a cabeça "grogui".. Da hora... Kaaaksksksks Click here to enlarge
        Já joguei um pouco o 3DS e tenho que dizer que o efeito 3d no 3DS nao da o mesmo "barato" ksksks x]]]
        quero conseguir um Master System 1 ou o 2 com o óculos para saber se o efeito é legal tb.. Uow, agora desenterrei, essa onda de 3D começou com a Sega e nos anos 80 com um console de só 8 bits né mesm ksksks x]]]
      Para comentar por favor registre-se.