necr0potenc3

Uma nova perspectiva - Menino enfrentando a polícia

Avalie este Post de Blog
4 Comentários
------------------------------------------------------------
#1. Menino Enfrentando a Polícia
------------------------------------------------------------


A foto do menino enfrentando a polícia se tornou um ícone de resistência apesar de todas as adversidades. É fácil de ver o porque: Esta é uma representação visual pura da coisa mais poderosa no mundo - aquela combinação única de coragem, fúria e total falta de auto-preservação que pode derrubar governos e acabar com sociedades inteiras. O garoto do tumulto é simultaneamente inspirador, engraçado e impressionante, e se você não quer jogar uma garrafa contra a parede de autômatos fascistas corruptos e sem rosto após ver isso, então parabéns por encontrar esse site através dos filtros de busca, Robô #264XJ6.

Para o resto de nós, o garoto do tumulto é emblemático de estar pouco se fodendo. Ele é raquítico, pequeno, da metade do tamanho de seus inimigos, e ele simplesmente aparenta não se importar. Esses policiais vão simplesmente ter suas cabeças abertas, e isso é apenas um fato; o sol nasce no leste, se põe no oeste, e esse garotinho vai arrebentar as cabeças cobertas por capacetes (com mullets!) desses lazarentos.


Essa foto não aparenta precisar de contexto, porém como tudo na vida, o contexto muda tudo. A foto vem originalmente do fotógrafo Evandro Monteiro, e foi tirada durante uma ação policial em São Paulo, Brasil. Enquanto olhamos para uma imagem como essa e reconhecemos o que nela inspira a nós todos, ainda assumimos que o garotinho estava apenas brincando. Ele provavelmente não sabia o que estava fazendo; ele estava apenas fazendo caretas para os policiais até que sua mãe desesperada viesse correndo para levá-lo embora. Há, porém, outra foto no portfólio de Monteiro com o mesmo o garoto que implica no contrário:


Então ele estava não apenas parado na rua, sozinho, jogando pedras na polícia (o que é muito mais que o necessário para um maloqueiro apanhar até a morte pela polícia de São Paulo,) mas ele estava tão cheio de raiva que tirou a sua camiseta e a jogou no chão, estufou seu peito e desafiou-os a fazer algo a respeito. Isso não era uma piada, ou uma brincadeira infantil. Isto era vida ou morte.

Literalmente.

O fotógrafo identificou essa criança como um "garoto de rua". Isso não é uma descrição genérica. Em São Paulo, "garoto de rua" é uma referência a uma classe específica de jovens sem teto na cidade. Há milhares, se não milhões, deles no Brasil, e são amplamente considerados pragas. Aproximadamente 20% de todos os homicídios policiais em São Paulo são de menores. Na verdade, essas crianças de rua são tão odiadas que alguns donos de loja e certos políticos chegam a pagar $50 pela cabeça de cada criança. Como resultado, esquadrões da morte mascarados andam pelas ruas à noite, eliminando estes menores.

E enquanto este sentimento é incrivelmente terrível, embrulha o estômago e esmaga o coração, e faz você simplesmente querer queimar toda essa espécie miserável até o chão e esperar que a natureza saiba recomeçar do zero dessa vez, ele também amplia drasticamente a importância desta imagem.


Isso não é o mesmo que uma criança branca, americana, brincando de revolucionário porque ele tem a proteção implícita da sociedade. Este garoto não está brincando, e ele não está seguro. Se ele é realmente um "garoto de rua", então estes policiais que ele está desafiando são os mesmos homens que ganham o salário de meia semana por matá-lo, e não sofreriam nenhuma represália por isto. E se ele realmente é um "garoto de rua", então ele está completamente sozinho ali. Eles são tão desprezados que é improvável que qualquer uma das pessoas nessa foto tenha interesse se ele vive ou se ele morre.

E ele simplesmente.

Não.

Se.

Importa.

Porque não há nada nesse mundo - nem chances esmagadoras, nem forças policiais brutais, nem medo, nem violência, nem o tipo horrível de apatia devoradora que torna os esquadrões da morte de São Paulo possíveis - que irá jamais, de agora até a morte ardorosa desse universo inteiramente fodido, forçar esse garoto a sentar e colocar a porra da camiseta de volta.

-------------------------------------------------------------

Texto original por: Robert Brockway
Fonte: 6 Images of Kids Too Insane to Be Real (That Totally Are) - Part 2, #1

Enviar "Uma nova perspectiva - Menino enfrentando a polícia" para Facebook Enviar "Uma nova perspectiva - Menino enfrentando a polícia" para Twitter Enviar "Uma nova perspectiva - Menino enfrentando a polícia" para Google Enviar "Uma nova perspectiva - Menino enfrentando a polícia" para Google+

Atualizado 19-08-2011 em 6:53 por necr0potenc3

  • Enviar Post de Blog por Email

Comentários

  1. FFSPFC -
    Avatar de FFSPFC
    Muito bom, me identifiquei bastante com quem escreveu o texto.

    As outras partes também são insanas! Verdinhas !
  2. Rugalxp1 -
    Avatar de Rugalxp1
    Gostei muito do texto. Mas esse "Garotinho de rua" Dado como inocente no texto é o que empunha uma arma em mãos e descarrega-a em pessoas que trabalham,estudam sem a menor dó, como se aquela pessoa que ele matou por R$50,00 ou simplesmente por maldade tivesse culpa da sua vida miserável.
    Sou totalmente a favor da pena de morte, e que a maioridade seja de 12 anos.
  3. Arirubrcwb -
    Avatar de Arirubrcwb
    Pena de morte e maior idade de 12 anos é cada um...
  4. Diego - Evil -
    Avatar de Diego - Evil
    bLZ, VAMOS ACABAR COM A POLICIA!
    assim deixamos os vizinhos traficas do garotinha estufar o peito contra toda a sociedade.

    A policia infelizmente esta a serviço do governo....que a manobra como bem entende.
    Portanto, as vezes fazem coisas legais, e as vezes nem tanto.

    ma enfim.
    perdi 1 min da minha vida