Página 1 de 3 Última

[TelemetriaMOB] Scanners de diagnóstico amadores - Padrão OBD2

  1. #1

    Padrão [TelemetriaMOB] Scanners de diagnóstico amadores - Padrão OBD2

    Notas:
    Spoiler:
    1. Meu teclado US tá todo mal configurado há um bom tempo, então haverá erros de digitação e o assunto é um pouco extenso.
    2. O material aqui não é de minha autoria (resumão crtl c + v que tenho aqui no pc), não sou especialista no assunto e conto com a contribuição dos foristas mais experientes no assunto para ir atualizando o tópico com correções e com informações mais precisas possíveis, porque na verdade ainda nem iniciei meus testes. Peguei muita coisa de vários lugares diferentes. Se os autores fizeram questão, mandem mp que adiciono os devidos créditos.
    3. Fiz uma busca básica no fórum e não achei um tópico sobre o assunto, caso já tenha outro, fecha aí pra nóis tio!


    OBD2 é a abreviação de On Board Diagnostic 2. Ou seja, um sistema de diagnóstico a bordo do veículo. Liga-se diretamente na ECU.



    Mas pra que diabo eu vou querer usar isso?


    Para isso:
    Spoiler:

    Isso:
    Spoiler:

    Isso:
    Spoiler:

    Isso:
    Spoiler:

    E também isso (depende do carro, do scanner e as vezes utiliza outros padrões):
    Spoiler:




    Vamos por partes:

    A injeção eletrônica do motor funciona baseada em dados informados por diversos sensores instalados no veículo (TPS, sonda lambda, posição do acelerador, etc). Esses dados são enviados para o módulo de injeção através dos fios do chicote. No módulo as informações são analisadas e o resultado dessa análise permite um ajuste fino de diversos parâmetros de funcionamento. Dessa forma o motor consegue se adaptar ao álcool ou gasolina (módulo Flex), consegue otimizar o desempenho em altitudes diferentes, entre outras situações.

    Através de um conector específico, você pode acessar a ECU e o módulo de injeção eletrônica. Ou seja, você consegue:

    Identificar os códigos de erro informados pelo módulo – passo essencial para resolver problemas nesse sistema.
    Acessar os parâmetros informados por cada sensor.
    Modificar o desempenho / resposta do sistema de injeção (se o módulo permitir).

    Como fazer?

    Para acessar o módulo de injeção existem diversas opções disponíveis. Genericamente, você precisa:

    Um Notebook, Tablet, Smartphone, ou Central Multimidia com um software que faça a leitura do protocolo do módulo de injeção eletrônica, um cabo ou conexão wireless/bluetooth para conectar esse aparelho ao scanner conectado a porta OBD2 do seu carro.
    Ou, um aparelho stand-alone plug and play que já possui um firmware/software pronto para uso.

    O mercado oferece vários tipos de equipamentos, conhecidos como mapeadores de injeção eletrônica (scanners) que fazem essa leitura. Para identificar o problema, além dos itens acima, você precisa de referências para a tradução dos códigos de erro.

    Até algum tempo atrás, cada montadora de veículo utilizava um conector e um protocolo próprio. Isso tornava a vida dos mecânicos e oficinas muito complicada, pois era necessário comprar uma ferramenta específica para cada marca de carro.

    Então os EUA resolveu padronizar. A partir de 1996 todos os carros vendidos nos EUA devem utilizar o conector tipo DCL – OBD2. Ou seja padronizaram o conector... No Brasil também foi padronizado no ano de 2011, através da resolução do CONAMA 354/2004, mas como vários carros brasileiros têm injeções importadas e/ou são exportados para outros países, muitos deles já seguiam padrão OBD mesmo antes disso... Ou seja, a mesma ferramenta é capaz de interpretar as informações do módulo do motor de todos os veículos. Entretanto os outros módulos (air bag, ABS, câmbio automático, etc) ainda podem possuir conectores / protocolos próprios. Tão querendo implantar o OBD3, que querem que seja interligado com as autoridades pra caguetar as merdas que a gente fizer. Click here to enlarge

    Infelizmente algumas montadoras ainda insistem em utilizar um sistema próprio nos carros que não são vendidos nos EUA. Isso significa que o mesmo modelo de carro pode ter dois sistemas de diagnóstico diferentes, variando de acordo com o mercado no qual é vendido. Um exemplo é o GM Tracker. Dependendo do módulo que ele utiliza pode ser ou não compatível com OBD2.

    E o que tudo isso quer dizer?

    Simples.

    Os mesmos dados enviados ao módulo pelos sensores através do chicote (reproduzidos no conector), podem ser lidos por uma outra interface que simula um computador de bordo.

    Então você tem acesso a diversos dados como:

    Códigos de falhas;
    Temperatura da água do sistema de arrefecimento;
    Temperatura do coletor de admissão;
    Voltagem da bateria;
    Pressão de combustível;
    Ponto de ignição;
    Rotações por minuto do motor;
    Entre outras informações interessantemente entusiásticas, como medir o 0 a 100 km/h, 0 a 60 mph, tempo para percorrer 1/4 de milha e etc..

    Dependendo da compatibilidade entre interface e módulo, outros parâmetros podem ser visualizados e vários comandos podem ser enviados para o carro. Cada carro oferece tipos diferentes de sensores e até mesmo de padrão de protocolos.

    Logo não é preciso instalar diversos relógios extras. Não é preciso sensores extras e um chicote elétrico a parte.

    É uma alternativa mais simples. E bem fácil de instalar.

    1. Mas antes de tudo, você precisa se certificar que a interface escolhida é compatível com o protocolo do seu carro. Para fazer isso vocë deve verificar quais pinos estão presentes no conector OBD 2 do seu carro. Vide imagem abaixo:

    Spoiler:
    Click here to enlarge


    ALGUNS APARELHOS AFIRMAM OFERECER SUPORTE A TODOS OS PROTOCOLOS. NÃO SEI ATÉ QUE PONTO É VERDADE NA PRÁTICA.

    2. Designação dos terminais (pinos do conector)

    Spoiler:
    Terminais 1, 8, 9, 12 e 13
    Estes terminais ficam a critério das Montadoras.

    Terminal 2
    Comunicação de dados para diagnóstico padrão: SAE J1850+ VPW - modulação com largura de pulso variável.

    Terminal 3
    Comunicação de dados (+ positivo) para diagnóstico EC4/DLC , geralmente Ford Zetec.

    Terminal 4
    Conectado ao terra do chassi do veículo, sendo utilizado para alimentar o equipamento de diagnóstico (interface).

    Terminal 5
    Conectado ao terra, deve ser a referência de terra para o transmissor e receptor de sinais de comunicação.

    Terminal 6
    Utilizado para o sinal CAN A (ALTA) do protocolo ISO 12765-4.

    Terminal 7
    Utilizado para os protocolos ISO 9141-2. Linha de comunicação "K".

    Terminal 10
    Utilizado para comunicação de dados de diagnóstico padrão SAE J1850- VPW (modulação com largura de pulso variável).

    Terminal 11
    Utilizado para comunicação de dados (- negativo) para diagnóstico EC4/DLC, geralmente Ford Zetec.

    Terminal 14
    Sinal CAN B (BAIXA) do protocolo ISO 12765-4.

    Terminal 15
    Protocolos ISO 9141-2. Linha de comunicação "L".

    Terminal 16
    Conectado à alimentação permanente de tensão, voltagem positiva (linha 30). Alimenta o equipamento de diagnóstico.


    3. Segue lista de protocolos atuais para sua referencia:

    Spoiler:
    o ISO 15765-4 (CAN)
    o ISO 14230-4 (KWP 2000)
    o ISO 9141-2 (Asian, European, Chrysler vehicles)
    o SAE J1850 VPW (GM vehicles)
    o SAE J1850 PWM (Ford vehicles)


    4. Localização do conector OBD 2:
    Em veículos de passageiro e veículos comerciais leves, deve atender às seguintes especificações: Próximo ao assento do passageiro ou motorista, Próximo ao painel de instrumentos, Distância de 300mm além da ECU, Fácil acesso ao assento do motorista e Entre a coluna de direção e a ECU. Geralmente o conector encontra-se próximo a caixa de fusíveis.

    5. Entendendo os códigos de falhas:
    O Padrão OBD II requer que a industria automobilística utilize uma estrutura de DTC (Diagnóstic Trouble Code ou diagnósticos de códigos de falhas) padronizada. Esta estrutura de códigos é muito diferente da estrutura dos códigos anteriormente utilizado. Os códigos de falha do protocolo OBD II contém uma letra e quatro dígitos numéricos:

    Spoiler:
    A letra identifica a parte do veiculo que está apresentando a falha:
    • P (Powertrain) = Trem de força;
    • C (Chassis) = Chassis;
    • B (Body) = Carroçaria;
    • V = Código de rede ou ligação de dados.
    O primeiro dígito numérico indica se o DTC é genérico do sistema ou especifico do fabricante:
    • 0 = Código genérico;
    • 1 = Código específico.
    O segundo dígito indica o sistema especifico do veiculo que está apresentando falha. A seguir, os identificadores dos sistemas do trem de força:
    • 1 = Dosagem de ar/combustível;
    • 2 = Dosagem de ar/combustível (somente falhas no circuito de ignição);
    • 3 = Sistema de ignição ou falha de ignição;
    • 4 = Controles auxiliares de emissões;
    • 5 = Controle de velocidade do veiculo e sistema de controle de marcha lenta;
    • 6 = Circuito de saída do computador;
    • 7 = Transmissão;
    • 8 = Transmissão.
    Os dois últimos dígitos indicam o componente ou seção onde está apresentando a falha.


    Para mais informações sobre os códigos acesse essa relação código/problema (em inglës): http://www.obd-codes.com/trouble_codes/

    6. Tipos de Scanners:
    Wireless (Wifi, Bluetooth) - Necessitam de um hardware/software externo para fazer a leitura (Notebooks, Tablets, Smartphones, Central Multimidia e etc.). O Torque e o Dashcommand (Android) a não são os únicos aplicativos, existem vários outros que rodam em computador, como o ScanMaster-ELM. Um notebook com Bluetooth e o programa de scanner é o suficiente para você ter acesso às informações disponibilizadas no protocolo OBD-II.:
    Spoiler:
    Click here to enlarge


    Stand-Alone - Scanner plug and play, sem necessidade de uma fonte de energia e softwares externos.:
    Spoiler:
    Click here to enlarge
    Click here to enlarge


    O preço varia muito do tipo e função do scanner, dá pra encontrar de U$10.00 até milhares de dólares. DX, Focal, Ebay, ML e etc.
    Editado por Pynot em 05-10-2013 às 14:53

  2. Publicidade

  3. #2

    Padrão

    7. Softwares para scanners wireless:

    7.1 iOS
    Spoiler:

    Rev – DevToaster -US$ 39,99

    Um dos mais completos da App Store (e também dos mais caros). É capaz de monitorar velocidade, RPM, consumo de combustível, pressão do turbo, temperatura da água, pressão de combustível, abertura da borboleta, pressão do coletor de admissão, temperatura do ar admitido, ponto de ignição, fluxo de ar e nível de combustível.

    Também usa sensores de movimento do aparelho para calcular torque e potência na roda, além de cruzar dados para velocidade real. A versão completa ainda faz diagnóstico de falhas e permite apagar a luz de serviço do motor.

    Logworks – Innovate Motorsports – grátis

    Não é tão completo quanto o Rev, mas tem interface mais direta e fácil de usar. Além de registrar os dados de viagens como qualquer computador de bordo de fábrica também indica códigos de falhas. Monitora apenas velocidade, RPM, consumo e nível de combustível, e pressão da admissão, mas exporta os dados em planilhas para arquivamento. Usa os sensores de movimento para medir as forças de aceleração longitudinal e lateral.

    MD4Mycar – Launch Tech Co. – grátis

    A interface é simples, quase amadora, e tem apenas o conta-giros em escala. Seu forte é a função de diagnóstico, que também permite apagar a luz de serviço. Entrou na lista por ser gratuito, e pode ser o suficiente para quem quer apenas descobrir por que aquela maldita luz está acesa.

    GoPoint – Go Point Technology – grátis

    Outro app com interface simplista, com listas e botões. Como é grátis e informa consumo médio e instantâneo, além do diagnóstico, pode ser a solução ideal para quem não quer nada além de monitorar o consumo.

    DashCommand – Palmer Performance Engineering – US$ 49,99

    É o mais caro e mais completo da loja e o que mais se aproxima de um computador de bordo integrado de fábrica. A interface não é muito refinada, mas é fácil de ler e toda baseada em escalas. Você pode escolher quais instrumentos ficarão na tela e distribuí-los como achar melhor.

    A lista de elementos monitorados impressiona pela extensão (depende, obviamente, da presença dos sensores no carro): velocidade do motor, do veículo, cut-off, pressão no coletor, temperatura do óleo, da água, da admissão, ponto de ignição, carga do acelerador, consumo médio e instantâneo, nível de combustível, sensor de oxigênio e relação estequiométrica (mistura ar-combustível).

    Como computador de bordo, registra distância total de viagem, volume e média de consumo de combustível, tempo total de viagem e rodagem, volume médio e total de CO2 emitido, média de velocidade, número de paradas, velocidade e aceleração máxima e outras variáveis que te ajudam a descobrir vícios de direção como “percentual de tempo em marcha não-ideal”.

    Ah, e como se não bastasse, ele ainda faz diagnóstico de erros e apaga a luz de serviço do motor.

    CarLa – PalmVision – grátis

    A proposta do CarLa é interessante: fazer você dirigir de modo econômico. Confesso que às vezes gostaria de gastar menos combustível e por isso incluí essa senhorita na lista. A tela básica é um enorme econômetro, com faixa verde e vermelha para facilitar a leitura, que se baseia no cruzamento de informações da ECU, e não apenas na carga do acelerador como os antigos econômetros-vacuômetros. E se algo der errado, ela avisa o que aconteceu mas não apaga a luz amarela do painel.

    BlueDriver – Lemur Vehicle Monitors – grátis

    É possível que você encontre ferramentas de diagnóstico que não reconheçam os códigos de erros do seu carro. É algo comum devido ao protocolo usado por cada fabricante, e por isso você talvez tenha que procurar alternativas a esses aplicativos que não interagem com a central eletrônica do seu carro.

    O BlueDriver não tem monitoramento em tempo real, mas é uma ferramenta de diagnóstico bastante completa, capaz de identificar e descrever a falha e ainda apagar a luz de erro. Como é gratuito, vale a pena usá-lo como ferramenta complementar.


    Tabela comparativa dos programas:
    Click here to enlarge

    Outros aplicativos legais que tem para o IOS são:
    -Car Care: é Um banco de dados para seu carro, faz media de consumo, gastos gerais, exporta para o excel, legal para ter um historico de manutenção e gastos em geral do carro
    -iBoost: A cada troca de marcha ele "espirra" como se fosse turbo, é legal para dar risada mas inutil
    -Dynolicius: Funciona como um G-tech, mede de 0-100, faz grafico, mede força G, potencia estimada nas rodas e no motor, comparativo pós upgrades.
    - Zilla: é o mostrado na foto abaixo, que parece um computador de bordo de Nissan GT-R. Ele calcula inumeras coisas como: Força G (4 direções, freio, aceleração, forças laterais, velocidade REAL, carga de pneus e outras coisas:
    Click here to enlarge

    7.2 Android
    Spoiler:

    Uma grande vantagem dos aplicativos Android é que todos eles têm versões demo para testar a conectividade e interatividade com seu carro. Outro ponto positivo são os preços, sempre cotados em real e bem mais baratos que os apps pagos para iOS.

    Torque - Ian Hawkins – grátis/R$ 9,88

    O mais popular dos aplicativos OBD para Android também é o mais completo. Em sua forma original ele não é muito bonito, embora use escalas. Faz tudo o que se espera de um app OBD, e tem uma enorme vantagem sobre todos os demais apps desta lista: plugins.

    Eles podem deixar o aplicativo idêntico ao computador do Nissan GT-R, por exemplo. O plugin Track Recorder usa câmera para filmar sua volta no track day com todos os instrumentos virtuais ao redor da tela.

    OBD Dashboard - Nicolas Frenay – R$ 4,17

    O único aplicativo brasileiro da lista é bem completo e personalizável. Faz leitura de todos os parâmetros, como velocidade do motor e do veículo, pressão no coletor de admissão, pressão da linha de combustível, consumo médio e instantâneo, ponto de ignição, temperatura do ar admitido, posição da borboleta e carga do acelerador etc. Em uma lista você escolhe as informações que deseja durante a condução e as seleciona para a tela principal. Fica devendo apenas o diagnóstico de falhas.

    Car Gauge - OBD Scantech – R$ 12,48

    O Car Gauge é o único aplicativo da lista que especifica os protocolos suportados em sua página de download, algo que facilita muito na hora de escolher o app – uma vez que existe a chance de incompatibilidade com a central eletrônica. Este app também permite a personalização dos instrumentos na tela inicial, com todas aquelas funções de monitoramento, e também informa códigos de falha.

    Trip - Tabloiti – R$ 10,84

    Com sua proposta de economizar combustível, sua única função é mostrar o consumo instantâneo e o volume total consumido no percurso, variáveis com as quais faz a média de consumo. É um tanto caro para um aplicativo que serve apenas para colocar números em algo que você está vendo acontecer (o ponteiro de combustível em queda livre).

    OBD Droidscan Pro - MockOne Performance – R$ 6,27

    É muito semelhante ao Torque, mas não tem os instrumentos virtualizados – todas as informações são em números e listas, o que dificulta a leitura ao volante. Apesar disso, permite monitoramento abrangente da central eletrônica e exporta os dados para um computador. As informações exibidas na tela são velocidade do veículo e do motor, fluxo de ar, pressão no coletor, pressão de admissão, avanço de ponto de ignição, carga do acelerador, consumo médio, temperatura do motor, temperatura do ar admitido, pressão atmosférica, temperatura ambiente, pressão e nível de combustível, e leitura dos sensores de oxigênio.

    OBD AutoDoctor - Creosys – grátis

    Considere-o a alternativa Android ao BlueDriver: sem monitoramento em tempo real, ele é apenas um aplicativo de diagnóstico que poderá ser útil quando os outros não conseguirem interagir com a central do carro.

    hobDrive - hobDrive – R$ 44,05

    O visual é muito semelhante ao do GoPoint para iOS: simplista, com fundo branco e números de traço fino, sem marcadores com escala e ponteiros. As funções são um pouco mais abrangentes: além do consumo médio e instantâneo, informa temperatura da água e do ar admitido, pressão e/ou fluxo de ar no coletor e velocidade do veículo. O sensor de movimento calcula o tempo de viagem e o número de paradas, e o modo de diagnóstico indica falhas e apaga a luz de serviço.


    Tabela comparativa dos programas:
    Click here to enlarge



    8. Tabela de informação dos protocolos de alguns veículos nacionais:
    http://ravenscanner.com.br/montadoras.aspx



    loading...
    Editado por Pynot em 05-10-2013 às 14:32

  4. #3

    Padrão

    Bom tópico.

    Comprei um desses Bluetooth, mas tá virando o mês e o puto ainda não chegou.

    Vamos ver os truques que aparecem aqui pra gente dar uma fuçada no carro! rs

  5. #4

    Padrão

    Só lembrando que nos carros nacionais mais antigos (+ de 5 anos) é muito provável de não ter o protocolo. No meu palio 08 por exemplo existe o conector mas ele não conecta.

  6. #5

  7. #6

    Padrão

    Comprei um desses bluetooth há uns 3/4 anos.

    Testei no New Fit e New Civic e funciona bem.

    Alguém tem indicações de bons softs para android?

  8. #7

    Padrão

    Só lembrando que nos carros nacionais mais antigos (+ de 5 anos) é muito provável de não ter o protocolo. No meu palio 08 por exemplo existe o conector mas ele não conecta.
    Será que não foi porque o protocolo da sua porta OBD2 não é o mesmo que o scanner suporta?

  9. #8

    Padrão

    Comprei um desses bluetooth há uns 3/4 anos.

    Testei no New Fit e New Civic e funciona bem.

    Alguém tem indicações de bons softs para android?
    Atualizei o segundo post com info sobre os apps.

  10. #9

    Padrão

    Po.. daora mesmo, mas morro de medo de fazer um "acerto" ou mod nas configs de injeção e fuder alguma coisa... kkkkk

    Edit.: Tenho um Siena 97 e meu mecânico já passou scanner tranquilo nele, dica pro amigo verificar o scanner que usou também!
    Editado por Lock! em 05-10-2013 às 15:28

  11. #10

    Padrão

    Fiat que eu saiba a porta é locked, testei no peugeot 307 funcionou normal aqui, no Stilo que tinha não funciona, mas to pensando em comprar um pra usar no vidro hehe

  12. #11

    Padrão

    Eu tenho e funcionou com o Celta 10/11.

    Veio com um software, mas eu uso OS X... ainda instalei no Windows, pois tenho Bootcamp, mas o programa não tem suporte ao dispositivo bluetooth do macbook. Mas rodou certinho no TorquePRO.

    Só que eu não tenho a mínima paciência de usar isso.

  13. Publicidade

  14. #12

    Padrão

    fiesta 02 02 funciona. tenho 2

  15. #13

    Padrão

    É interessante, quando não tem outra coisa pra fazer.

    Click here to enlarge

    Click here to enlarge

    Click here to enlarge

    O problema do novo phonemob... mas eu comprei uma capa preta pra ele.

    Click here to enlarge

    Click here to enlarge

    Mas pra usar o adaptador, tem que andar com a caixa de fusível aberta.

    Click here to enlarge

    O Torque ainda tem uns plug-ins legais. Esse de gravar vídeo com mapa e os dados do carro é bem legal (ocultei o mapa).

    Click here to enlarge

    Click here to enlarge


  16. #14

    Padrão

    Fiat que eu saiba a porta é locked, testei no peugeot 307 funcionou normal aqui, no Stilo que tinha não funciona, mas to pensando em comprar um pra usar no vidro hehe
    Ué, então como será que ele conseguiu escanear a parada?

  17. #15

    Padrão

    Será que não foi porque o protocolo da sua porta OBD2 não é o mesmo que o scanner suporta?
    é por causa disso, alguns modelos nacionais não implantavam esse protocolo por não ser obrigatório, se não me engano.

  18. #16

    Padrão

    Eu faço uso frequente dessa ferramenta no meu Passat, me assustou o cara falando aqui em cima que o Palio dele é 2008 e por ser muito velho ainda não tem a interface ativa. O meu carro é 1998 e já tem isso de fábrica!

    No meu Passat posso me virar perfeitamente bem com um cabinho USB-ODB2 de eBay (US$ 10) + um software feito pelo Ross Tech chamado VCDS que é um simulador do VAG-COM das concessionárias VW/AU/SE/SK. Procurando por aí dá pra encontrar a versão completa e tal.

    Alguns parênteses: esse tipo de recurso não é, ou não devia ser, brinquedo pra se ligar em celular e ficar pendurado na tela mostrando gráfico de consumo instantâneo, temperatura de óleo, etc, etc. Essas informações têm serventia numa oficina ou num final de semana com o carro ligado, capô aberto e tal. Galera que for gastar $$ nisso com essa vibe de penduricar um monte de coisas coloridas no para-brisa vai acabar comprando um brinquedo que vai ser a sensação dos miguxos por um mês se não enjoar antes.

    Ferramenta de diagnóstico é pra fazer diagnóstico e no máximo uns tweaks finos, galera que tá brincando de Bluetooth ou Wifi muito provavelmente tem apenas um scanner read-only que serve pra pegar o sinal de alguns sensores do carro e plotar gráficos em janelas coloridas pra impressionar o carona. Essa aparelhagem não pode servir pra modificar nada no carro, até porque se fazer isso por cabo já traz um risco, fazer sem fio é quase como atualizar BIOS via wifi.

    No spoiler vou botar um LOG típico de um scanner real, uma vez por mês eu passo scanner no meu carro pra ver quais falhas ficaram registradas na memória dos módulos (ABS, airbag, ECU, CCM, Radio).

    Spoiler:
    Chassis Type: 3B - VW Passat B5
    Scan: 01,02,03,08,15,16,17,19,35,36,37,46,47,55,56,57,58 ,75,76,77

    -------------------------------------------------------------------------------
    Address 01: Engine Labels: Redir Fail!
    Controller: 8D0 907 558 E
    Component: 1.8L R4/5VT MOTR HS D02
    Coding: 04001
    Shop #: WSC 05314
    No fault code found.
    Readiness: N/A

    -------------------------------------------------------------------------------
    Address 03: ABS Brakes Labels: 8E0-614-111-ABS.LBL
    Controller: 8E0 614 111 B
    Component: ABS/EDS 5.3 FRONT D00
    Coding: 0273004283
    Shop #: BB 24332
    No fault code found.

    -------------------------------------------------------------------------------
    Address 08: Auto HVAC Labels: 3Bx-907-044.LBL
    Controller: 3B1 907 044 A
    Component: CLIMATRONIC S 9.0
    Coding: 02000
    Shop #: WSC 05314
    No fault code found.

    -------------------------------------------------------------------------------
    Address 15: Airbags Labels: 1J0-909-60x-VW3.LBL
    Controller: 1J0 909 604 A
    Component: AIRBAG VW3 - V03
    Coding: 00065
    Shop #: WSC 05311
    No fault code found.

    -------------------------------------------------------------------------------
    Address 17: Instruments Labels: 3B0-919-xxx-17.LBL
    Controller: 3B0 919 861 B
    Component: B5-KOMBIINSTR. VDO V30
    Coding: 04142
    Shop #: WSC 00000
    IMMO-IDENTNR: VWZ7Z0W0495920
    No fault code found.

    -------------------------------------------------------------------------------
    Address 46: Central Conv. Labels: 1J0-959-799.LBL
    Controller: 1J0 959 799 H
    Component: 08 Zentral-SG Komf.0002
    Coding: 04096
    Shop #: WSC 00928
    2 Faults Found:
    00928 - Locking Module for Central Locking; Front Driver Side (F220)
    27-00 - Implausible Signal
    00930 - Locking Module for Central Locking; Rear Left (F222)
    27-00 - Implausible Signal

    -------------------------------------------------------------------------------
    Address 56: Radio Labels: None
    Controller: 5U0 035 119 F
    Component: RADIO 9NK 0029
    Coding: 00407
    Shop #: WSC 00000
    No fault code found.

    End --------------------------------------------------------------------------------------------------

  19. #17

    Padrão

    Eu usava no meu Subaru..
    O meu era Wireless..

  20. #18

    Padrão

    É interessante, quando não tem outra coisa pra fazer.
    que prr# é esse João Kleber em todas as imagens ??!!?? auhauhuahuhauhauha

  21. #19

    Padrão

    que prr# é esse João Kleber em todas as imagens ??!!?? auhauhuahuhauhauha
    Pra tentar evitar que vagabundo use as fotos no mercado livre, etc. Já achei foto dos meus óculos que postei no boas compras em loja que parece fake. Lol

  22. #20

    Padrão

    Tentei todos os protocolos e nd de funcionar no meu palio elx 1.0 fire 2003, alguem conseguiu em algum palio?

  23. #21

    Padrão

    bom mesmo é por um soundracer
    ia ficar fera no 500 com som bose no máximo HUE

  24. #22

    Padrão

    Com esse aparelho eu conseguiria saber a quilometragem real de um carro?

  25. #23

    Padrão

    Ué, então como será que ele conseguiu escanear a parada?
    porque é uma ferramenta pra isso, eu não sei bem porque não funciona...mas eu não consegui ler do stilo e não sei de ninguem que tenha conseguido ler de fiat nesses leitores chineses...

  26. #24

    Padrão

    alguém sabe de um que funciona no punto 1.8 (motor GM)

  27. #25

    Padrão

    Peguei esse aqui com bluetooth:

    Click here to enlarge

Página 1 de 3 Última

Compartilhar

Permissões